Gatos idosos - Geriatria

25/11/2011 16:15

 

Prepare-se para enfrentar a velhice do seu gato.

Os anos passam muito mais rápido para os gatos. Levando-se em conta que a vida média desses animais é de 12 anos, podemos dizer que aos 7 ou 8 anos eles começam a envelhecer. Existem animais que podem viver muito mais do que a média. Alguns gatos chegam aos 18 ou 20 anos. Nesses casos, existem 2 fatores envolvidos que justificam essa longevidade: predisposição do organismo e os cuidados que ele receberá quando começar a envelhecer.

O dono deve ficar atento e conhecer as doenças que podem acometer seu animal a partir de 7 ou 8 anos de idade. Com isso, ele poderá preveni-las ou diagnosticá-las a tempo do animal receber o tratamento adequado. Isso prolongará a vida de muitos gatos, certamente.

 

 Calcificações nas vértebras da coluna ("bico de papagaio") ou hérnia de disco

É muito comum em gatos idosos e obesos. O animal pode começar a mancar e tem dificuldade de pular ou subir em locais mais altos, como um sofá. Quando palpado na região da coluna, ele sente dor. O quadro pode progredir, e o animal passa a ter incoordenação nos membros (cruza as pernas traseiras ao andar), não consegue mais se levantar, urina e defeca em qualquer lugar (incontinência).

Como tratar

Está ocorrendo compressão dos nervos e inflamação na região da coluna afetada pela hérnia ou calcificação. O gato deve repousar e ser medicado pelo veterinário com antiinflamatórios e analgésicos. O gato que apresentar sinais graves, como paralisia, deve ser submetido a exames de raio-X e mielografia para avaliar o grau da lesão. O animal não deve tomar banho ou ser exposto a temperaturas frias durante o tratamento ou quando tiver crises de dor. Em alguns casos o tratamento é cirúrgico.

 

 

 Doenças do coração

Muitos gatos idosos podem apresentar alterações cardíacas. Alguns animais compensam essas disfunções e vivem bem, sem sinais clínicos. Outros apresentam sinais claros de cardiopatia, mas o dono não sabe reconhecer. Cansaço além do normal, tosse que pode ser confundida com um engasgo após exercícios, ofegação e língua arroxeada após uma situação de excitação, são sinais de um gato cardiopata. O animal deve ser examinado pelo veterinário, que indicará um eletrocardiograma e/ou um ecocardiograma para avaliar o animal.

Como tratar

É importante que o proprietário esteja atento para que o animal seja medicado no início da doença. Mesmo não apresentando sinais clínicos, o animal idoso deve ser examinado pelo veterinário anualmente. Constatada a cardiopatia, o animal será medicado e os sinais deverão desaparecer. Gatos cardiopatas não devem ter peso acima do normal (obesidade).

 

 

 Insuficiência renal crônica

Quando o rim perde a sua capacidade de selecionar o que é bom ou mal para o organismo e não consegue mais reter a água, temos um quadro de insuficiência renal crônica. Os sinais são emagrecimento, ingestão exagerada de água, urina em grandes quantidades, perda de apetite, vômitos e anemia.

Como tratar

Na verdade, a insuficiência renal crônica é um quadro que leva o animal à morte, pois o rim, que é o filtro do organismo, não funciona mais. Ele deixa passar substância importantes como vitaminas, e retém toxinas que deveria eliminar. Porém, diagnosticada a tempo, o animal pode ter uma sobrevida com uma mudança alimentar e complementos vitamínicos. A hemodiálise é feita em alguns países.

 

 

Piometra

Gatas idosas, não castradas, que apresentem sinais de perda de apetite, vômitos, aumento súbito do volume do abdômen, corrimento vaginal intenso e apatia, devem ser encaminhadas ao veterinário imediatamente. A piometra é uma infecção uterina comum em animais de meia idade e idosos. O útero se enche de secreção purulenta, e o animal se intoxica pela absorção desse pus pelo organismo.

Como tratar

O único tratamento eficaz na maioria dos casos é a cirurgia com retirada do útero e ovários e antibioticoterapia. 

 

 

Tumores

Nem todo o tumor é um câncer. Todo nódulo que aparece em um gato, idoso ou não, deve ser avaliado pelo veterinário. O diagnóstico precoce pode salvar ou prolongar a vida de um animal com câncer.

Como tratar

Pode se recorrer à remoção cirúrgica e/ou quimioterapia. A radioterapia em gatos é realizada em alguns países.

 

 

 Perda dos dentes

É algo que o dono pode e deve prevenir. O gato perde os dentes, normalmente, pelo acúmulo de tártaro. Os animais devem ser avaliados anualmente desde jovens, e a prevenção e/ou remoção do tártaro (quando necessário) devem ser feitos. Quando o dono percebe que a boca do gato cheira mal ou os dentes estão muito amarelados, é hora de visitar o veterinário. O ideal é prevenir. Muitas vezes, quando é feita a limpeza de tártaro, diversos dentes já poderão estão perdidos. Alimentar o animal com ração seca pode ajudar a prevenir o tártaro, além de outras medidas.

 

Quanto à alimentação, vale ressaltar que existem ração para gatos mais velhos (rações sênior).

Dê preferência a elas para animais acima de 7 anos.

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!